quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Copa do Mundo de 2014 promete gerar mais de 600 mil empregos




A Copa do Mundo também vai criar oportunidades para quem quiser abrir o próprio negócio. Em um dos projetos do governo mais de 300 mil trabalhadores serão capacitados. Já está disponível junto ao SENAC/SEBRAE cursos para empreendedores,onde serão capacitados principalmente na área de Construção Civil e turismo, bem como na produção e comércio gerando com isso novos postos de trabalho.

Com a realização deste evento em nosso país, será um grande incentivo para o povo brasileiro em diversos aspectos, principalmente porque fará com que as pessoas busquem aprimoramento em diversas áreas, como também despertará o lado empreendedor daqueles que já desejavam abrir seu próprio negócio, mas não viam um caminho certo á seguir.

Os olhos do mundo estarão voltados para o "BRASIL" e isso será extremamente importante para o país, que vêm crescendo e mostrando para muitos o quanto somos grandes, não somente em território, mas também em capacidade de gerar riqueza colhendo ótimos frutos com estes investimentos.

Podemos ver claramente que este grande evento está fluindo a todo vapor, pois, no Rio de Janeiro uma das capitais que sediarão os jogos, já é visível os grandes avanços e mudanças que estão sendo gerados para realização da Copa do Mundo de 2014, pois a cidade virou um verdadeiro canteiro de obras com realização de melhorias em ruas, estradas, transportes (Ônibus/Metrô) e estádio de futebol (Maracanã).


Vídeo do Jornal Hoje - Em 15/08/2011

Postado por: Sandra Helena - GP_2

O legado da Copa do Mundo de 2014 e das Olimpíadas de 2016.






Devido a iminência da realização dos eventos esportivos que o Brasil sediará (tais quais a Copa d Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016), torna-se cada vez mais evidente a carência de profissionais especializados nas mais diversas áreas, como por exemplo: a construção civil, tecnologia da informação, hotelaria e turismo.


Nesse momento temos que repensar a educação profissional como algo que forma as bases para que se obtenha êxitos em eventos que tem repercussão nacional e internacional.
Outro ponto a ser considerado, é o surgimento de novas oportunidades de emprego . Visando suprir à demanda das mais diversas áreas envolvidas nos projetos da Copa e das Olimpíadas. Seguindo esse raciocínio, observamos que tais eventos são esporádicos, com prazos delimitados de início e fim. Não havendo necessidade de manter um quadro de fixo de funcionários, contribuindo para uma precarização do mercado de trabalho. Assim sendo, os contratos de trabalho que mais se encaixam nessas condições são os por tempo determinado, ou seja : o autônomo, o terceirizado, os cooperativados, os temporários e por tempo parcial. Conclui-se que a prestação de serviço em caráter eventual a uma ou mais empresas, sem vínculos empregatícios.

RH_1

Trem-bala pode estar pronto para as Olimpíadas 2016

Durante a obras serão 12 mil empregos. Outros 30 mil gerados depois do TAV entrar em operação

A construção do primeiro trem-bala do Brasil vai gerar mais de 40 mil empregos diretos e indiretos até o trigésimo ano de operação. Esse e outros detalhes sobre a construção do trem-bala e do edital que definirá o consórcio de empresas responsáveis pela obra foram dados na tarde desta terça-feira (13) pelo ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, e pelo diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, na sede do Ministério em Brasília. Ainda na manhã desta terça, uma cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Lula assinou mensagem que encaminha ao Congresso Nacional um projeto de lei para criar a Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade (Etav) e disse que é possível trabalhar em mais de um turno, ou até mesmo sábados e domingos, para que o trem-bala fique pronto a tempo de atender as necessidades do país.

“Boa parte da infraestrutura que estamos fazendo queremos que esteja pronta até as Olimpíadas de 2016 e acho plenamente possível inaugurar o trem-bala até 2016”, disse.

A expectativa é de que na fase inicial de construção sejam gerados 12 mil empregos e um pico de 30 mil quando entrar em operação. Grupos empresariais da Alemanha, França, Japão, Coréia, China, Espanha e Itália já demonstraram interesse em apresentar propostas ao governo brasileiro. O trem-bala vai ligar as cidades de Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro.

O edital para apresentação de propostas será publicado nesta quarta-feira (14) no Diário Oficial da União. O grupo vencedor terá o prazo máximo de seis anos para construção e conclusão da obra, mas o ministro dos Transportes, Paulo Passos, acredita que em quatro ou cinco anos a obra poderá estar finalizada e em operação. De acordo com ele isso valorizaria muito o país para esse grande evento esportivo.

O presidente da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo, e o ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos, durante entrevista coletiva sobre o edital de licitação do Trem de Alta Velocidade (TAV) (Foto: Valter Campanato/ABr)

“Nós estamos construindo uma nova história em termos de infraestrutura no país. Isso começou com inúmeras obras como a melhoria de rodovias e culminará com esse projeto do trem-bala. Esse projeto é pensado desde a década de 70 e esse governo teve a coragem de colocá-lo em prática depois de mais de dois anos de estudos e detalhamentos”, lembrou o ministro Paulo Passos.

O presidente Lula citou o momento de investimentos vivido pelo Brasil. “O Brasil vive esse momento que, eu diria, é um momento mágico na vida difícil deste país, porque foi uma geração e meia ou duas gerações que não viram este país ter o potencial de desenvolvimento que tem. Nós chegamos a uma situação de tal ordem, que faz 15 anos que este país não produz um trilho. Quinze anos que este país fechou a última laminadora que produzia trilhos neste país. A gente não sabia nem produzir dormente, mais”, disse Lula.
Até esta fase o projeto de construção já custou aproximadamente U$ 10 milhões de dólares, o equivalente a mais de R$ 17 milhões de reais. O valor total da obra está estimado em R$ 33 bilhões de reais.

O edital aponta para sete estações obrigatórias, sendo elas no centro do Rio de Janeiro, no aeroporto do Galeão (RJ), em Aparecida (SP), em Guarulhos (SP), no centro de São Paulo, em Viracopos (SP) e no centro da cidade de Campinas. O Edital exige a implantação de nove estações em todo o trecho. São obrigatórias, com direito ao concessionário de optar pelas localidades: uma estação do Vale do Paraíba fluminense e uma estação no Vale do Paraíba paulista. O projeto referencial indica Volta Redonda e Barra Mansa, no Rio, e São José dos Campos, em São Paulo, mas o investidor possibilidade de alterar essas duas estações. Também é facultado ao interessado abrir quantas estações ele julgar interessante.

As empresas interessadas terão até o dia 29 de novembro para apresentar suas propostas. A data do leilão foi confirmada para o dia 16 de dezembro deste ano, na sede da BM&FBovespa. O financiamento do governo brasileiro ao consórcio vencedor chegará a R$ 19 bilhões de reais intermediados pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O Governo Federal também aposta em 100% de transferência de tecnologia do consórcio vencedor. “Nós queremos que o estado brasileiro tenha total domínio da tecnologia que será utilizada. A ETAV coordenará esse processo”, enfatizou o diretor da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo. O diretor da ANTT explicou também que em caso de empate entre dois grupos, o desempate será feito considerando o grupo que comprovar mais experiência e tempo de operação da tecnologia. O ministro Paulo Passos descartou a hipótese de que esse item favoreça os japoneses que são responsáveis pela tecnologia de operação mais antiga.

O edital completo estará disponível no site da ANTT, www.antt.gov.br, a partir desta quarta-feira (14). O julgamento será feito a partir da oferta do menor valor da tarifa quilométrica, para o serviço de classe econômica, observando o valor máximo de R$ 0,49, por quilômetro, e tendo atendido à totalidade das exigências estabelecidas na legislação e no edital. O contrato de concessão deve ser assinado pelo proponente dentro de 90 dias, contados a partir da homologação do vencedor do leilão. A concessionária será uma Sociedade de Propósito Específico - SPE, com participação da Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A. – Etav.

ETAV
Ainda na manhã desta terça-feira, em cerimônia no Palácio do Planalto, o presidente Lula assinou a mensagem do Projeto de Lei a ser encaminhada ao Congresso Nacional para a criação da Empresa de Transporte Ferroviário de Alta Velocidade S.A. Etav, vinculada ao Ministério dos Transportes. A nova estatal terá sede em Brasília, podendo estabelecer escritórios em outras unidades da Federação. Será organizada sob a forma de sociedade anônima de capital fechado e que terá, com explicou o ministro Paulo Sérgio, um quadro funcional “enxuto e qualificado”. A Etav tem como principal competência a absorção e transferência da nova tecnologia a ser aplicada no TAV.

O ministro dos Transportes, Paulo Sérgio Passos explicou que a estatal é uma empresa com foco muito bem definido. “A Etav vai cuidar basicamente de três coisas: será sócia minoritária que, em nome da União, vai participar do capital da Sociedade de Propósito Específico que vai construir e explorar o TAV; será a empresa pública que vai coordenar e intermediar todo o processo de absorção de transferência de tecnologia, tanto para o setor industrial brasileiro, quanto na relação que vamos ter com os institutos de pesquisa das principais universidades brasileiras; e fará o acompanhamento e monitoramento do projeto em todas as suas etapas - desde o desenvolvimento do projeto, o que ocorrerá a partir do conhecimento do consórcio vencedor, até a operação do trem, trabalhando de maneira articulada com a Agência Nacional de Transportes Terrestres”.

O melhor resultado da Copa 2014 e das Olimpíadas 2016 é o Brasil 2017

A conquista da sede das Olimpíadas de 2016 pelo Rio de Janeiro deve-se em grande parte ao trabalho superprofissional de relações públicas desenvolvido há mais de dois anos pelas autoridades brasileiras, especialmente aquelas ligadas ao esporte (Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro e Itamaraty). Às justas comemorações pela conquista da primeira Olimpíada a ser realizada na América do Sul, porém, somam-se as necessárias ações que precisam ser realizadas a fim de que o evento marque uma virada na capital carioca e deixe um legado positivo, para seus habitantes, para o incremento do turismo e ao país.
Entre essas ações, o planejamento é o fator essencial para a realização bem-sucedida dos Jogos Olímpicos 2016, a exemplo do que aconteceu em Barcelona 1992 e vem acontecendo em Londres, em sua preparação para sediar as Olimpíadas 2012. No caso brasileiro, há a feliz coincidência de o Rio de Janeiro ser uma das sedes da Copa 2014 e muitas das obras que serão realizadas para o Campeonato Mundial de Futebol devem necessariamente ser pensadas para aproveitamento nos Jogos Olímpicos, especialmente aquelas ligadas à infraestrutura urbana - de mobilidade urbana (metrô, corredores de ônibus, estacionamentos, entre outros), aeroviária, de portos, de ampliação da rede hoteleira e também esportiva.
Outra questão fundamental a ser resolvida na infraestrutura refere-se ao saneamento, em todas as suas vertentes: água, esgoto, drenagem das águas pluviais e resíduos sólidos, ou seja, coleta e destinação do lixo. Para isso, é absolutamente urgente que as autoridades federais, estaduais e municipais se unam para aproveitar a sinergia entre os dois eventos - Copa 2014 e Olimpíadas 2016 - para eliminar, de uma vez por todas, a poluição da baía da Guanabara, programa que vem de há quase duas décadas, consumiu mais de 1 bilhão de dólares e não resolveu o problema. Para isso, além dos necessários investimentos em coleta e tratamento do esgoto urbano e na implantação de interceptores oceânicos, é preciso principalmente a realização de campanhas de esclarecimento que atinjam a população como um todo e impeçam que muitos, como acontece atualmente, joguem lixo na rua, nos córregos e rios, provocando enchentes e toda a sorte de problemas sanitários. Somente com a colaboração dos cidadãos a questão do lixo e da limpeza urbana, com conseqüências na prevenção de enchentes, poderá ser resolvida.
Esta é a única forma de superar a deficiência crônica do Brasil em planejamento, nas suas diversas esferas de poder (federal, estadual e municipal). Ela vem falhando seguidamente, com os custos decorrentes: obras executadas às pressas, sem projetos detalhados que definam técnicas construtivas, especificações dos serviços e materiais, cronograma de execução e orçamento rigorosos. Exemplo dos problemas originados dessa falta de planejamento foram as obras dos Jogos Panamericanos de 2007 no Rio de Janeiro. A capital carioca praticamente não se beneficiou dos investimentos realizados. As obras para a Copa 2014 e às Olimpíadas 2016 são a oportunidade de aproveitar a intensa sinergia entre os dois eventos, mirar os ensinamentos da história recente e reverter esse quadro. Senão, os quase 30 bilhões de reais que são previstos como investimento na preparação para as Olimpíadas podem não ser suficientes ou, pior ainda, não deixar nenhuma conseqüência positiva para a sociedade.
E, para se ter um bom projeto, é necessário planejar, que significa pensar antes para fazer melhor. E, para se ter bom projeto é necessário respeitar o tempo para a sua elaboração, enfim respeitar a engenharia. Isto porque, como preconiza o Sinaenco, "antes de uma boa obra, existe sempre um bom projeto".
É preciso trabalhar a partir de agora, ainda com mais afinco para desenvolver rápida e eficientemente os projetos de cada estádio, praça, rodovia ou aeroporto que precisaremos para 2014 e 2016. Há aqui grave risco para a arquitetura e engenharia de projetos brasileira. Alguns poderão ser tentados a contratar, sem licitação, escritórios estrangeiros, sob a alegação de que estes já têm experiência no projeto de estádios, padrão Fifa ou padrão COI. A justificativa será a de sempre: "Como já estamos atrasados, não há tempo a perder com demoradas licitações". Não podemos desperdiçar essas raras oportunidades para desenvolver a competência das empresas brasileiras, competência essa que poderá ser exportada nos megaeventos esportivos mundiais, no futuro.
Organizar a Copa e as Olimpíadas é um desafio para todos os brasileiros. O principal problema está na infraestrutura. Não podemos correr o risco de fazer a Copa 2014 e as Olimpíadas 2016 e não deixar nenhum resultado importante para as cidades envolvidas.
O melhor resultado da Copa 2014 e das Olimpíadas 2016 é o Brasil 2017, o legado positivo desses eventos para nosso país.


José Roberto Bernasconi é presidente do Sindicato da Arquitetura e da Engenharia (Sinaenco)

http://www.caminhandojunto.com.br/2009/10/o-melhor-resultado-da-copa-2014-e-das.html

Muito interessante a abordagem do José Roberto onde destaca a importância e a preocupação de nosso infra-estrutura após este eventos.Precisamos pensar que fazemos parte deste processo e com isso devemos nos concientizar que será muito bom estes dois eventos no Brasil porém atraves deles podemos exigir melhores condições basicas que em muitas lugares no Rio não tem.
Muitos tentaram colocar a poeira deibaixo do tapete porém não devemos deixar que isso aconteça.Nós futuros gestores precisamos nos posicionar e solicitar que sejam feitas mudanças que melhorem nossa qualidade de vida e que possa atender estes dois eventos tão combiçados por muitos paises.

Grupo RH1

Por Camila Ferreira R00005

Profissão tradutor e intérprete.

Copa do Mundo e Jogos Olímpicos prometem aquecer o segmento de Tradução e Interpretação no Brasil.
O Brasil se prepara para receber uma grande onda de investimentos, empresas, profissionais e turistas estrangeiros. Com a economia em expansão e às vésperas de sediar os dois principais eventos esportivos mundiais – Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas Rio 2016 -, o mercado volta-se ao segmento de Tradução e Interpretação.

Grande parte dos eventos internacionais demanda o serviço de tradução simultânea, uma das atividades desenvolvidas por profissionais da área. Atualmente, o país ocupa o 7º lugar no ranking da Associação Internacional de Congressos e Convenções (AICC). Mas não é só.

Espera-se expansão na busca por serviços de tradução de websites, contratos e documentos oficiais, acompanhamentos de reuniões internacionais, monitoramento de atividades turísticas, dentre outros serviços. Ao Empregos.com.br, Pérsio Burkinski, tradutor e intérprete e diretor-fundador da Millennium Traduções e Interpretações, fala sobre o segmento. Assista.

PROJETO INTERDISCIPLINAR- UM NOVO OLHAR PARA O BRASIL

Nos anos de 2014 e 2016 o Brasil estará em festa:vamos sediar a nossa segunda copa do mundo. E além de celebrar este grande acontecimento,também comemoraremos o fato de que teremos a primeira olimpíada mundial no Rio de Janeiro.
Mas para que esses episódios tenham grande êxito,é indispensável que os gestores,empresas e governo federal estejam unidos em uma força tarefa,com intuito de suprir as necessidades imediatas como:contratações de mão de obra especializada,investimento no setor turístico,qualificação profissional e investimento de empresas na contratações de equipe.
Segundo a ASSERTTEM(Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporários), os terceirizados e temporários podem chegar a 700 mil na copa de 2014." O trabalho temporário e atividades terceirizadas são importantes num país que é hoje a sétima economia mundial e o quinto maior mercado de trabalho temporário e terceirizado do mundo",disse Edson Belini,assessor de marketing e ex presidente da ASSERTTEM.Através disso o Brasil, terá a chance de subir no ranking mundial de empregos temporários,como aconteceu a África do Sul que pulou de 14° para 4° lugar no ranking gerando assim milhares de empregos.
Outro segmento que haverá um grande crescimento será o turismo,impulsionado pelos eventos e pelo crescimento econômico.Algumas instituições já desenvolvem cursos gratuitos para profissionais chamados de "linha de frente" como porteiros recepcionistas,mensageiros,governantas,gerentes e tem como objetivo capacitar o setor de turismo para atingir padrões internacionais de qualidade.Esses eventos irão gerar muitos negócios para o país,antes e depois de acontecerem,para o turismo local serão gerados novos postos de trabalho sem contar com a melhoria nos transportes,aeroportos e etc.
Segundo Sérgio Bessa(Administrador e professor da Fundação Getúlio Vargas)aponta que a qualificação profissional como o grande gargalo profissional para atender a demanda crescente."Falo de profissionais em todos os níveis,do básico ao principal executivo da empresa.Embora o governo venha fazendo um grande esforço no sentido de melhorar a qualificação, não se consegue uma resposta a este esforço em prazo curto.É um trabalho que envolve uma geração inteira,uma tarefa estrutural de longo prazo e o crescimento de nossa economia está indo em uma velocidade superior a capacitação das pessoas",disse ele a reportagem.
Somado a tudo isso é necessário que as empresas e seus gestores de Recursos Humanos possam estabelecer estratégias,pois estamos a 3 anos da copa e 5 das Olimpíadas do Rio.À vista disso, haverá oportunidades de negócios em suas companhias, gerando lucros e contribuindo para investimentos na capacitação de equipes,treinamentos e contratações.Podemos ter como exemplo empresas no qual seus países sediaram esses eventos e foi desenvolvido treinamento especializado para atender a portadores de necessidades especiais.Esperamos que o Brasil possa fazer bem mais que isso e tenhamos uma Copa do Mundo e Olimpíadas com empresas preparadas,com infraestrutura para receber os turistas.



Postado por Janete de Souza.










FONTE:BLOG.MTE.GOV.BR
MAIL.ADMINISTRADORES.COM.BR
MONTE CARLOS IDEIAS

Rio 2014 e 2016 LEGADOS

Rio 2014 e 2016 LEGADOS

Temos um novo ciclo construtivo se aproximando do Brasil e especial da cidade da Rio de Janeiro com realização da copa mundo FIFA 2014 e sede das olimpíadas 2016, os olhares se ponhe para a cidade, com economia se solidificando cada vez mais, somos a 7 economia mundial e esse eventos geraram uma exposição positiva para o Brasil e em particular o Rio de Janeiro, atraindo investimos e interesse do mundo. Esse interesse súbito pelo Rio tem que ser revertido em Legados positivos e permanente para Rio e o Brasil. Eventos e legados são um paradoxo para esta cidade abaixo um conjunto de eventos e seus legados deixados ao longo da historia:


Evento
Legado

1 Janeiro de 1502 Descoberta por Miguel Lemos.
A localização geográfica do Rio de Janeiro, passa ser de domínio publico

1 Novembro de 1555 os francese se apossam da Baia de Guanabara.
Caracteriza-se a posição estratégica do Rio de Janeiro,na exploração do Brasil ,sendo alvo de disputa internacional.

1 Março d 1565 fundação da Cidade do Rio de Janeiro por Mem de Sá
È alavancado o desenvolvimento do Rio de Janeiro se solidificando com um polo importante para exploração da colonia pelos portugueses.

Janeiro 1567 expulsão dos Franceses por Mem de Sá
Portugal consolida seus investimentos bélicos na cidade do Rio de Janeiro para manter seus interesses estratégicos na colonia.

1763 O Marques de Pombal Transfere a sede da colonia para Rio.
Torna-se o centro administrativo do Brasil – colonia.

1808 Chegada de Corte Portuguesa e Rei de Portugal Dom João VI ao Rio.
São criados: A imprensa Régias, Academia Real Militar, Escola de Medicina, Biblioteca Real , Jardim Botânico, Museu Real, Museu Nacional e Etc.

7 Setembro 1822 Promulgada Independência do Brasil Por Dom Pedro I
Liberdade Politica do Brasil sobre portugal

Copa do Mundo 1950
Construção do Maracanã o maior estadio de futebol na época.

1960 Troca da Capital do Brasil para Brasília
Perda de influencia com saída da sede administrativa para Brasília inicio de um ciclo de decadência econômica e social para cidade do Rio de Janeiro

1975 fusão do estado da Guanabara com Estado do Rio de Janeiro
Projeto de Retomada econômica do Estado do Rio de Janeiro com grandes obras, marcado com a construção da Ponte Rio-Niterói.

1992 Eco 92
Visibilidade para mundo como capital verde.

2007 Pan-americano
Complexo Esportivo Cidade dos Esportes, Estádio Olímpico João Havelange, Velódromo da Barra, Parque Aquático Maria Lenk e etc.


Com vimos ao longo dos tempos o Brasil e a cidade do Rio de Janeiro é marcada por eventos e seus legados, alguns marcaram a sua infra-estrutura positivamente outros negativamente, temos com marco um ultimo marco Pan-americano de 2007 que apesar de bem organizado, sua influencia não causo impactos profundos na estrutura urbana e econômica da cidade seu maior legado foi à capacidade de organizar e recepciona grandes eventos. A Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016 em conjunto, com o crescimento econômico do Brasil têm causado um forte impacto na mídia mundial e conseqüente aumento na motivação do Brasil em exerce um excelente papel nestes eventos e atrair oportunidades de negócios, no turismo vocação nata do Rio de Janeiro, passa ser nosso cartão de visita para mostra nossa capacidade com os legados deixados na execução destes eventos teremos fortalecido nossa infra-estrutura gerando uma nova versão de Brasil 3.0 podermos aproveita o conhecimento adquirido neste período para forma a tecnologia Carioca e Brasileira para o salto econômico.


Tecnologia Carioca de ser


Pequenos negócios precisam aproveitar os megaeventos que ocorrerão no País

Pequenos negócios precisam aproveitar os megaeventos que ocorrerão no País
Só a Copa de 2014 mobilizará cerca de 660 mil turistas estrangeiros, injetando R$ 133,4 bilhões na economia; segundo o consultor do Sebrae Luiz Carlos Barboza, "haverá demanda para tudo"
Por Dilma Tavares, Agência Sebrae

A partir de 2011 até 2016 o Brasil vai sediar pelo menos cinco mega eventos internacionais, principalmente esportivos, que mobilizarão multidões e grandes volumes de recursos. Só a Copa do Mundo de 2014 vai atrair cerca de 660 mil turistas estrangeiros, além dos locais, e injetar R$ 143,4 bilhões na economia brasileira, conforme pesquisa da Ernest & Young e fundação Getúlio Vargas. E o os micro e pequenos negócios precisam se preparar para aproveita essas oportunidades, incluindo aquelas da economia solidária.

O alerta é do ex-diretor técnico e atual consultor do Sebrae, Luiz Carlos Barboza, especialista em desenvolvimento e em pequenos negócios. Barboza mediou e promoveu palestra no painel sobre Desenvolvimento integrado e a realização dos megaeventos esportivos, nesta quarta-feira (1º), dentro da programação da Expo Brasil Desenvolvimento Local, promovido no Rio de Janeiro com o apoio do Sebrae.

"A Copa de 2014 e as Olimpíadas 2016 podem tirar o Brasil da estagnação de cinco anos do fluxo de turistas estrangeiros para receber, dos atuais 5 milhões, até para 7,5 milhões de visitantes até 2014 e 9 milhões em 2018", avaliou. Conforme Barboza, dos 142,4 bilhões investidos, 20,8%, o equivalente a cerca de R$ 30 bilhões, serão em compras de produtos e serviços e uma parcela desses recursos certamente pode ser capturada pelos micro e pequenos negócios.

"Precisa-se de tudo ao mesmo tempo. O número de encomendas que teremos é impressionante e teme-se até a incapacidade de atendimento a toda essa demanda", disse Barboza. Ele lembrou, por exemplo, que os recursos serão investidos em áreas que vão da indústria têxtil a móveis e madeira. Conforme as pesquisas apontam, os principais gastos dos turistas são com hotéis, seguidos de alimentação, compras, transporte, cultura e laser - a maioria, áreas em que os micro e pequenos negócios atuam.

Conforme o consultor, a Copa de 2014 gera grandes potenciais de negócios para produtos e serviços provenientes de micro e pequenos empreendimentos de desenvolvimento territorial ou local de comunidades urbanas ou rurais, de empreendimentos da economia solidária, do comércio justo, da agricultura familiar, alimentos orgânicos ou agros ecológicos, artesanato e souvenirs, entre outros, como confecções e acessórios e das manifestações culturais e artísticas.

"Não se pode passar a vergonha de o turista comprar aqui artesanato que vem da China", incentivou, citando outros exemplos como na área de alimentação onde, entende, "estará melhor quem conseguir se diferenciar e a alimentação orgânica podem ser um diferencial". Mas Barboza explicou que para aproveitar ainda mais essas oportunidades, além de preparados, os micros e pequenos negócios também precisam estar organizados. "Haverá oportunidades, mas o grau de aproveitamento depende do grau de organização desses negócios", afirmou.

Uma das principais iniciativas, lembrou, é procurar orientação do Sebrae e outros órgãos que atuam na área. Ele lembrou que a instituição já vem desenvolvendo o Projeto Sebrae na Copa 2014, destinado a preparar as micro e pequenas empresas para aproveitar as oportunidades geradas por pelos grandes eventos esportivos. O trabalho envolve capacitação, sistema de informação sobre essas oportunidades e estreitamento de parcerias comerciais entre fornecedores e compradores, inclusive por meio virtual. "As empresas que passarem por essa experiência ganharão a Copa", afirmou.

Gol da paixão

Segundo o gerente de Desenvolvimento Territorial do Sebrae, Juarez de Paula, as oportunidades geradas com a Copa 2014 extrapolam para todos os estados. "O Brasil é o País do futebol e a Copa não acontece todos os dias na nossa casa. Então, todos se mobilizarão e todos vão querer participar", lembrou, alertando que haverá oportunidades para negócios mesmo nas cidades que não sediarão os jogos. "As oportunidades estão em todo lugar e se soubermos lidar bem com essa paixão nacional, todos sairão ganhando", afirmou.

No painel da Expo Brasil também foi apresentado iniciativa do Sebrae no Rio de Janeiro para orientação das empresas para a Copa 2014 e casos de empreendimentos que já estão sendo preparados para o evento, como integrantes dos pólos gastronômicos e comerciais da capital fluminense.
http://www.administradores.com.br/informe-se/oportunidades/pequenos-negocios-precisam-aproveitar-os-megaeventos-que-ocorrerao-no-pais/40781/




Comentário:

Com os eventos programados para os próximos anos, abre-se um leque de oportunidades para ampliação dos negócios, sejam eles de qualquer tamanho, como também de novos empreendimentos em áreas ainda pouco exploradas.
O texto “Pequenos negócios precisam aproveitar os megaeventos que ocorrerão no País” do site www.administradores.com.br nos mostra algumas dessas oportunidades.
O Rio de Janeiro, além de mostrar sua capacidade de organizar grandes eventos, poderá mostrar ao mundo que tem outros atrativos, entre eles, seu povo criativo, inovador, que aproveita oportunidades de negócios gerando de renda e empregos.

Empregos na Copa do Mundo 2014 e Olímpíadas no Rio.

A Copa do Mundo de 2014 já começou a ser preparada em praticamente todos os Estados brasileiros que receberão os jogos das 32 melhores seleções do mundo da atualidade. O Rio de Janeiro é uma dessas cidades, pois já é estimado pela Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Rio de Janeiro (Abih-RJ) que mais dez mil vagas em estabelecimentos de hospedagem serão criadas.

Caso isso aconteça, o contingente disposto pelos cariocas chegará a quase 40 mil, pois já existem 28 mil vagas. Alfredo Lopes de Souza Júnior, presidente da Abih-RJ, revela que a linha de financiamento concedida pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para ampliação e reforma do parque hoteleiro nacional oferece garantias e prazos de pagamentos.

Souza Júnior, que teve discurso veiculado pelo Canal Executivo do Portal UOL, afirmou que os incentivos do BNDES são um passo importante para que haja a construção de novos hotéis no Rio de Janeiro, mas que somente isso não basta. Para ele, a rede de transporte público é um setor que merece muita atenção, pois reflete, sobretudo, na própria infra-estrutura da cidade.

Para conseguir uma oportunidade a dica é se qualificar. Quem sabe um outro idioma sairá na frente. As áreas como hotelaria e turismo são as que prometem um maior crecimento, portanto, especializar-se nestas áreas já é um bom começo.

Elisangela - Rh3.

Ministério do Turismo abre curso para atender pessoas com deficiências durante Copa e Olimpíadas


http://www.youtube.com/watch?v=Srax4Hfdjek
A inclusão dos portadores de deficiência, na copa e olimpiadas, será um momento, oportuno de mostrar que todos nós quando qualificados podemos contribuir para o nosso crescimento profissional, e consequentemente o crescimento do noso país.


Postado por:RH1 Osmar RH00018




Os desafios do Rio de Janeiro para copa 2014


http://www.copa2014.org.br/noticias/296/OS+DESAFIOS+DO+RIO+DE+JANEIRO+PARA+A+COPA+2014.html

Os desafios na cidade do Rio de Janeiro são grandes oportunidades de crescimento. Diante de cada investimento vemos o Rio com uma Mega organização para transpor todos os desafios e dificuladade. Acredito que cresceremos muito, pois sem dúvida conseguiremos vencer-los.Tendo assim um novo estilo de vida.
Postado por:RH1 Osmar RH00018

A reinvensão do Rio, segundo Eduardo Paes


http://www.copa2014.org.br/noticias/7578/A+REINVENCAO+DO+RIO+SEGUNDO+EDUARDO+PAES.html


Correta a atitude do prefeito Eduardo Paes.Ele tem solicitado apoio da iniciativa privada para injetar capital em determinadas reconstruções e construções de certos lugares no Rio de Janeiro. Visando valorizar o setor imobiliário de nossa cidade. Aumentando assism o lucro de tais investidores, asssim ganha o Rio e os investidores.

Postado por: RH1 Osmar RH00018


terça-feira, 16 de agosto de 2011

Mercado de trabalho e as Olimpíadas 2016 no Rio




O mercado de trabalho já sofre grande impacto com a confirmação das Olimpíadas no Rio de Janeiro. As empresas estão ampliando o quadro de funcionários com o intuito de atender a demanda exigida pelo evento. Desta forma, para acompanhar essas exigências os diversos tipos de profissionais que serão necessários nos setores de turismo, hotelaria, serviços, transportes e construção civil, terão que se qualificar, como aprender outras línguas e possuir especialização em áreas específicas.

Referência da matéria: Jornal Hoje - Rede Globo.



Postado por: GP_2


Na Copa de 2014 o turismo será a maior fonte de renda dos trabalhadores do setor



O setor de turismo já é responsável pela geração de 7,2 milhões de empregos no país. Os números são do Ministério do Turismo. Só na Copa do Mundo de 2014, mais de 800 mil pessoas vão trabalhar diretamente com turistas. O setor de serviços já está se preparando.

Postado por: GP_2

Qualificação profissional para Copa e Olimpíadas no Alemão

O secretário de Trabalho e Renda, Ronald Ázaro, participa de um ato cívico que irá marcar o início das aulas do projeto Cidadão Olímpico no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. O projeto, coordenado pela Secretaria de Trabalho e Renda, visa preparar a comunidade, que vivia há décadas sob a política do terror imposta pelo tráfico de drogas, para uma nova realidade. Mais de 700 pessoas, jovens em sua maioria, terão cursos de qualificação profissional e serão preparados para as oportunidades que serão geradas com a Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016.
O ônibus-escola, totalmente informatizado, abre suas portas para as primeiras turmas de camareiras. Também serão oferecidos cursos de garçom, agente de turismo, barman e informática. Cada turma terá 32 alunos e os cursos têm o apoio pedagógico da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). As inscrições começaram e, com o alto índice de procura, as turmas foram formadas rapidamente. O sucesso do Cidadão Olímpico foi visível já na primeira edição do projeto, realizada na comunidade recém-pacificada do Batan, em Realengo, Zona Oeste do Rio, onde a evasão no curso foi zero.
- A Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) foi fundamental para o sucesso no Batan e é importante vermos o projeto se multiplicando para outras comunidades, como foi o caso da Mangueira e agora o Alemão. As ações do governo, nas áreas de segurança e qualificação, vão garantir dois princípios básicos que, por força do tráfico de drogas eram escassos ou inexistentes nessas localidades: a democracia e a cidadania - observou Ázaro.
O ônibus do Cidadão Olímpico ficará estacionado por quatro meses na Estrada do Itararé, um dos acessos ao complexo de favelas do Alemão. Os cursos oferecem material didático, composto por apostilas, dicionários inglês/português e CD Rom, para as aulas de língua inglesa, turismo, informática, cidadania e orientações sobre os Jogos Olímpicos.
Ronald Ázaro destacou a importância da mobilização da sociedade como um todo para que, aliadas as ações de qualificação, surjam as oportunidades de trabalho para os formandos.
- Nosso objetivo é que 100% dos formandos sejam empregados ao final dos cursos. As parcerias com o Sindicato de Hotéis e a rede hoteleira do Rio, por exemplo, podem garantir aos alunos diversas oportunidades, pois haverá demanda de mão-de-obra especializada nos eventos internacionais em 2014 e 2016 - afirmou o secretário estadual de Trabalho e Renda, Ronald Ázaro.


Fonte: http://governo-rj.jusbrasil.com.br/politica/6355637/qualificacao-profissional-para-copa-e-olimpiadas-comeca-amanha-no-alemao


Comentários de Grace Kelly: A realização de dois grandes eventos no Rio de Janeiro, vem causando um grande crescimento econômico, profissional, passando por grandes transformações na segurança, na educação e fortalecendo as relações comunitárias.
Como podemos ver o artigo acima esses mega eventos também vai qualificar pessoas de baixa renda que vivem em comunidades para que também possam ter oportunidade profissional nesses e em outros eventos.
Vale salientar que as atenções não estão somente nas olimpíadas e na copa, e sim no crescimento profissional, na modernização da cidade,no grande número de vagas de empregos em ascensão.
Toda essa agitação se deve também ao “despreparo” em todos os sentidos para a realização destes, e ter que cumprir prazos e metas está sendo um grande desafio para nossos governantes.
Mais a população anda satisfeita mesmo, são com as contratações, melhores qualificações no mercado, cursos gratuitos o qual não é um preparo só para daqui uns anos e sim para um futuro mais adiante.

A importância do setor de serviços para a Copa 2014

O Sindicato das Empresas de Prestação de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Sindeprestem) e a Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem) já iniciaram o processo de mapeamento das oportunidades de negócios a serem geradas em virtude da realização da Copa do Mundo no Brasil. O lançamento da pesquisa está previsto para a segunda quinzena de maio próximo.
Encomendado ao Instituto de Pesquisas Manager (Ipema), o levantamento abrangerá os setores de construção civil, tecnologia da informação, alimentação, hotelaria, comunicações, logística, eventos e turismo nas 12 cidades-sede escolhidas para o mundial. “O objetivo é identificar, quantificar e qualificar dados que permitam posicionar o setor de serviços terceirizados e de trabalho temporário em relação às oportunidades de negócio com a realização da Copa no país”, explica Vander Morales, presidente do Sindeprestem e da Asserttem.
Apontado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) como o responsável pelo aumento do número de carteiras assinadas nos últimos meses, o setor de prestação de serviços terceirizados e de trabalho temporário emprega cerca de 2,5 milhões de trabalhadores ao ano, de acordo com a 4ª Pesquisa Setorial Sindeprestem/Asserttem.

http://maisrh.wordpress.com/2011/04/20/a-importancia-do-setor-de-servicos-para-a-copa-2014/

Grupo RH1- Danielle Alves R00008

Confira como a Copa de 2014 agitará mercado de trabalho no Brasil

"Esse é o momento de plantar, para colher lá na frente", afirmou consultora de carreira da Catho Consultoria .

Não são somente os membros da comissão técnica, juízes e os jogadores que terão a oportunidade de impulsionar suas carreiras durante a Copa do Mundo de 2014, que acontecerá aqui no Brasil. Longe dos gramados, a estimativa é de que vagas de emprego sejam criadas, e não são somente nas cidades que sediarão o campeonato mundial.

Para se ter uma ideia da grandiosidade do evento para o mercado de trabalho nacional, uma pesquisa realizada pela FGV Projetos, a pedido da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), revelou que a Copa do Mundo de 2014 deverá gerar 3,6 milhões de empregos no Brasil.

E esses empregos não devem ser gerados somente no ano da Copa. De acordo com a consultora de Carreira da Catho Consultoria em RH (recursos humanos), Mayra Fragiacomo, agora, cinco anos antes do evento, o mercado de recrutamento já está se movimentando, estimulado pelas empresas brasileiras.

Antes

A movimentação tem sido mais forte em duas áreas: construção civil e marketing. No primeiro caso, os motivos são óbvios, já que o Brasil não quer fazer feio durante o evento, apresentando estádios em condições precárias.

"Há um grande movimento em construção civil, em infraestrutura, que tem de estar pronta o quanto antes. O movimento não é só de contratação de mão-de-obra menos qualificada, mas de executivos, como gestores de obra, que são cargos mais estratégicos", explicou Mayra.

E erra quem pensa que a infraestrutura se resume aos estádios: "é preciso pensar fora da caixa", ressalta a consultora. O que ela quer dizer é que existe toda uma gama de serviços que está por trás dos holofotes e dos gramados, como hotéis e restaurantes. Uma grande rede de hotéis, exemplifica, já está contratando mão-de-obra para construir unidades novas em cidades-sede.

Além da construção civil, outra área que já está agitada para a Copa é a de marketing focada em esportes. Essa era uma área que já estava aquecida, mas que teve um "agito" fora do comum por conta do campeonato mundial.

"Esse é o momento de plantar, para colher lá na frente", afirmou a consulta. Por isso, muitas empresas já estão procurando eventos e jogadores para patrocinar, com o objetivo de estreitar relacionamentos e, no momento da Copa, ganhar mais visibilidade. A concorrência para conseguir tudo isso vai ser grande e já é preciso escolher no mercado os profissionais mais preparados da área de marketing.

Durante

Depois de montada toda a infraestrutura e de iniciado o campeonato, entram em campo os profissionais que lidarão com a organização do evento: seguranças, guias turísticos, garçons, camareiras e demais profissionais de menor qualificação serão bastante demandados.

De acordo com Mayra, muitas pessoas falam que a Copa gerará empregos "pontuais e temporários", o que está errado quando se estende a afirmação para todos os tipos de emprego. Isso é verdade quando se fala em empregos de menor qualificação, que têm relação direta com o funcionamento do evento.

E esses profissionais, dependendo do desempenho mostrado durante o campeonato, podem sim conquistar uma vaga no mercado de trabalho. "Alguns serão absorvidos, mas outros não", ponderou a consultora.

Depois

Dependendo de como a imagem do Brasil ficar depois da Copa do Mundo de 2014, pode-se ter certeza de que dois mercados sairão mais aquecidos: o de comércio exterior e turismo, de acordo com Mayra.

É fácil de notar isso: se uma empresa percebe que um evento organizado mundialmente por um país foi brilhante, passa a confiar mais nele. Com isso, as companhias desse país ganham mais visibilidade e o número de negócios com o exterior cresce, o que é bom para os profissionais que atuam nessa área.

E aí surge a resposta para o motivo de Mayra pensar que a Copa não gera só empregos temporários: você acha que uma empresa demitiria um profissional estratégico que a ajudou a passar uma boa imagem durante a Copa e que, por isso, movimentou o número de negócios?


Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Fonte: http://www.administradores.com.br/informe-se/informativo/confira-como-a-copa-de-2014-agitara-mercado-de-trabalho-no-brasil/23961/

Grupo RH1- Postado por: Danielle Alves R00008.
http://youtu.be/zBhAJZkdlys
"O crescimento econômico reforçará nos proxímos anos um movimento que já teve início.E seguirá aquecido nos proxímos anos.
Mais profissionais devem investir cada vez mais em qualificação.
E para manter a empregabilidade conhecimento em informática, curso técnico e idiomas são questões fundamentais para quem deseja
o nível de empregabilidade.
Na area de TI existe uma carência de profissionais, que demanda no mercado de trabalho.
Pelas promessas do pré-sal, pelo desafio de sediar a copa do mundo e os jogos olímpicos em 2016, indústrias, laborátorios, a cadeia do pétroleo
e do gás, redes hoteleiras, escolas, empresas de todo País sabem que para garantir um salto de desmvolvimento, a matéria-prima mais preciosa é a mão-de-obra.
Neste novo cenário só tem vaga o profissional devidamente qualificado."
RH_2

Copa Do Mundo Em 2014, Olimpíadas Em 2016

Um Brasil de oportunidades, impactos e herança.

A Pesquisa de Percepção 2011 do Rio Como Vamos, realizada em maio último, pelo IBOPE, constatou que a grande maioria dos cariocas se diz orgulhosa do Rio.
O percentual é o maior das três últimas edições já realizadas, e um dos fatores que mais contribuíram para esta melhora foi a abertura de oportunidades no mercado para a Copa do Mundo e Olimpíadas. Pois sabe-se que o que acontece no Rio, impacta no resto do país.

Discussões e debates têm sido realizados visando engajar a população e esclarecer fatos e processos, para que se faça um bom gerenciamento dos eventos.

Os Governos Federal, Estadual e Municipal determinaram a Copa do Mundo e as Olimpíadas como 'um Rio de oportunidades para o Brasil', e visam assim, deixar um legado extraordinário para a cidade.

Oportunidade de vagas abertas para a Copa do Brasil 2014



Empregos Copa 2014 Brasil
Dentre as oportunidades de vagas para a Copa 2014, as vagas serão nas áreas de: turismo, como gastronomia e hotelaria, oportunidades para garçom, camareiras entre outras como guia turístico e tradutor. Tecnologia da informação, construção civil, comércio varejista, agronegócio, serviços e vestuário. O preparo para estar apto a preencher as vagas deve começar o quanto antes, como cursos de curta duração de Hotelaria e Turismo, Informática e Línguas, além de Marketing com especialização em Esportes.


Empregos Copa 2014 Brasil
Prepare-se para o mercado de trabalho Copa 2014
Para estar preparado para as oportunidades da Copa 2014, aprimore o seu inglês e espanhol, escolha uma área para trabalhar e desenvolva o seu potencial. O mais importante é que ao ter uma qualificação em áreas técnicas, você certamente irá continuar empregado mesmo depois do final do evento.

Prepare-se para o mercado de trabalho Copa 2014

http://www.gambira.com.br/vagas-abertas-de-emprego-para-a-copa-2014-no-brasil/

A conquista das Olimpíadas de 2016 marca uma virada na história do Rio. E a transformação não é pequena. Se no início do século XX as reformas afetaram basicamente o Centro da cidade, agora todo o Rio será impactado. A essa herança chamamos Legado Olímpico que, após 2016, poderá ser visto e sentido em diversas localidades, como Região Portuária, Zona Oeste, Subúrbio, Centro e Zona Sul.
O conjunto de ações, que já pode ser visto nas ruas do Rio, representará, no futuro, uma das mais amplas ações de transformação urbana e social da história do município. E o projeto Cidade Olímpica se encarregará de deixar seu registro para a História.

Postado por R00007

Obras para a Copa de 2014 incentivam contratação de detentos

http://agecopa2014.com.br/copa-2014/obras-para-a-copa-2014-incentivam-contratacao-de-detentos

A realização da Copa do Mundo de 2014 está impulsionando a contratação de presos por empresas privadas. Em duas cidades que receberão jogos do Mundial – Brasília (DF) e Cuiabá (MT) –, cerca de 20 detentos trabalham nas obras de reformas dos estádios e de mobilidade urbana, como na duplicação da rodovia Cuiabá-Chapada (MT-251).

Essas contratações são resultado de uma parceria entre Ministério do Esporte, Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e Comitê Organizador Local (COL) da Copa 2014. O acordo prevê que, no mínimo, 5% dos postos de trabalho em construções relacionadas à preparação para o Mundial sejam ocupados por presos, egressos do sistema carcerário e cumpridores de penas e medidas alternativas. Os detentos poderão trabalhar nas obras das 12 cidades-sede.

Redução da pena

Segundo a executiva da Fundação de Amparo ao Trabalhador Preso (Funap), Verlúcia Cavalcante, o trabalho, além de ser uma forma de reingresso do preso na sociedade, contribui para a redução da pena: para cada três dias trabalhados, é reduzido um dia de permanência na prisão. Outro ponto a ser destacado é que, na maioria dos casos, o trabalho do preso é a fonte de renda para sua família. Por isso, segundo a diretora, o índice de retorno desses trabalhadores ao sistema carcerário é muito baixo.

Fonte: Correio de Uberlândia

Copa no Pantanal


http://blog.manager.com.br/2011/07/06/copa-de-2014-olimpiadas-de-2016-vao-gerar-40-mil-empregos-rio-de-janeiro.html

Copa de 2014 e Olímpiadas de 2016 vão gerar 40 mil empregos no Rio de Janeiro


Com a Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016 cada vez mais próximos, a geração de novos empregos em virtude desses eventos se torna uma realidade.

A construção de novos hotéis na Cidade Maravilhosa é uma prova disso: até 2014 serão construídos 17 hotéis. Além de movimentar a Construção Civil, o setor hoteleiro também está aquecido: estima-se que para cada quarto de hotel construído haverá 4 novos postos de trabalho.

Para Alfredo Lopes, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-RJ), o Rio de Janeiro vive sua melhor época para o setor hoteleiro. Ele ressalta que além dos empregos e da capacitação de mão de obra, os benefícios desses eventos permanecerão mesmo após a Copa e as Olimpíadas.

Faz sentido. Com toda publicidade que o país receberá com a cobertura dos jogos, as chances de que o turismo permaneça em alta após os eventos é bem alta. Por enquanto, estima-se que durante os períodos dos eventos sejam abertas só no Rio de Janeiro cerca de 40 mil vagas em hotelaria e turismo.

por: Thiago Dantas


Achei muito interessante essa matéria, pois vai proporcionar várias oportunidades de empregos. Entendi que a construção de novos hotéis não será somente para esses eventos, mas permanecerão após os mesmos.
O contrato de trabalho ideal para esses cargos que serão oferecidos, deve ser o contrato de experiência, podendo ser alterado para contrato indeterminado.
As empresas poderão aproveitar esses eventos fazendo publicidade, fazendo divulgação de seu produto, marca...


Novo Maracanã

http://www.youtube.com/watch?v=5Mdj_1eaU9A


Com a reforma estimada em R$ 430 milhões no Maracanã deverá ser criada dez mil chances de empregos na área de construção civil. Envolvendo todos os tipos de contratações principalmente contratos de Licitações, já que são valores muito altos. Além da construção, as áreas de turismo, bares e restarantes, transportes e segurança serão as mais beneficiadas.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

PPP - Parcerias Público-privada - Olimpíadas RIO 2016 - Planejamento Olimpíadas RIO 2016.

Os gastos em projetos de infraestrura e instalações esportivas para os Jogos Olimpícos do Rio de Janeiro aumentaram e podem alcançar a cifra de R$ 41,5 bilhões.

O montante é quase o dobro do anunciado em 2009, quando foi lançado o dossiê da candidatura olímpica. Naquele momento, as obras para viabilizar os Jogos de 2016 na capital fluminenses estavam estimadas em R$ 23,2 bilhões.
Segundo a Autoridade Pública Olímpica (APO), Márcio Fortes, confirmou os novos números. Segundo ele, há 403 projetos em análise.

A APO será responsável por fiscalizar a execução das obras para a Olimpíada.
 

A previsão de Fortes é que o órgão comece suas atividades em setembro. Só então poderá ser definida a matriz de responsabilidade dos Jogos, que estabelecerá os projetos e quais esferas de governo serão responsáveis por eles.

Alguns projeto serão realizados través de PPPs e irão gerar milhares de empregos, na forma terceirizada, temporária e de contratação direta.

VLT na Zona Portuária. (Serão gerados 10 mil empregos diretos e indiretos na construção deste sistema de transporte.  Após a conclusão, sendo utilizado durante o evento a contratação de temporários para atender a grande demanda de turista que viram ao Rio para assistir aos Jogos) - Projeto em estudo, não sendo possível confirmar sua conclusão.



Porto Maravilha - Consorcio Porto Novo  (Serão gerados na 1ª e 2ª fase 20 mil empregos diretos.  Após a conclusão do projeto, serão utilizados durante o evento a contratação de temporários para atender a grande demanda de turista que viram ao Rio para assistir aos Jogos)


 
 BRTs - Ônibus de Trânsito Rápido (Transcarioca, Transoeste, Transolímpica e Transbrasil) (Serão gerados mais de 10 mil empregos diretos durante a construção deste projetos)
Referência site: www.grandesconstrucoes.com.br

Ministro espera geração de empregos mais fraca em Julho.



Carlos Lupi descartou que essa queda possa iniciar uma tendência e manteve a previsão de criação de postos de trabalho para o anoO Ministério do Trabalho deve anunciar um número mais fraco para a geração de empregos em julho na comparação anual, disse o ministro Carlos Lupi nesta terça-feira. Ele, no entanto, descartou que essa queda possa iniciar uma tendência e manteve a previsão de criação de postos de trabalho para o ano.

"Em julho, já começa a cair a contratação no setor agrícola e a safra nesse ano apresentou o mesmo problema... é um período de férias onde há também demissões de profissionais de educação", disse Lupi após encontro com lideranças políticas na residência oficial do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral.

"Então, pode ser um número não tão bom, mas isso não altera a nossa previsão para o ano, pois o nosso ritmo é muito forte. Tem muitas coisas saindo, investimento, Copa do Mundo, Olimpíada e Petrobras", completou.

Os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) sobre a geração de empregos no mês de julho deve ser anunciado na semana que vem.

Em julho de 2010 foram gerados cerca de 180 mil novos postos de trabalho. Segundo Lupi, a previsão do governo é de geração de 3 milhões de vagas neste ano.

Lupi afastou a possibilidade de o mercado de trabalho brasileiro sofrer os impactos da atual crise econômica global, que tem atingido os mercados financeiros.

(Esta crise global não deve afetar os projetos para a Copa e Olímpiadas, visto que a grande maioria dos projetos já estão com sua construção iniciada e no caso de uma piora da crise os governos Federal e Estaduais teriam que intervir na conclusão dos projetos, colocando dinheiro público em maior quantidade que o necessário. Isso ajudaria a manter a imagem do País no exterior e também é uma forma de combater a crise global, pois teriamos mais consumo através da geração dos empregos).

Trabalho realizado por Marcelo, Glauco, Jacqueline e Jessica
.

Referência site: www.gazetadopovo.com.br/economia/conteudo.phtml?id



http://www.direitolegal.org/artigos/planejamento-trabalhista-para-a-copa-de-2014/#respond

Video Investimentos e empregos gerados pela Copa de 2014 - Repórter Rio



          A Copa de 2014 tem gerados para todos muitos benefícios, e isso vem engrandecendo nosso pais assim como todos aqueles colaboradores que participam desta grande mudança. E tempo de adaptação. E assim todos poderemos tirar proveito dessa grande mudança.

Referência do programa de TV: Reporte Rio

Manaus se espelha em Durban e mira Copa das Confederações em 2013

Manaus se espelha em Durban e mira Copa das Confederações em 2013.

Confira abaixo como está o andamento das obras e a situação dos principais setores da capital amazonense para a realização da competição.
header Copa 2014 estádio (Foto: Editoria de Arte)
Orçada em R$ 534 milhões, entre obra e gerenciamento da mesma, a Arena da Floresta está 18,8% concluída, de acordo com a Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa). Garantindo nunca ter saído do verde no ‘semáforo’ criado pela Fifa para controlar a construção do estádio, o coordenador da unidade, Miguel Neto, prevê terminar a construção em junho de 2013.
header Copa 2014 legado (Foto: Editoria de Arte)
Potencializar Manaus como pólo turístico é o maior legado da Copa do Mundo para cidade na opinião dos responsáveis pela UGP Copa. Ciente da força local em virtude da floresta amazônica, a intenção é fazer uma integração não somente com a parte urbanizada e central, como também com os chamados “hotéis de selva”.
Como os jogos não acontecerão diariamente, haverá um incentivo para ocupação desses hotéis, com os turistas se deslocando para Manaus somente nos dias das partidas, usufruindo assim de outros atrativos da região.
header Copa 2014 objetivo (Foto: Editoria de Arte)
O maior objetivo de Manaus é receber a Copa das Confederações. Enquanto algumas sedes se preocupam em cativar Seleções específicas visando o Mundial, a UGP Copa tem as atenções voltadas para a Fifa, apesar de deixar clara a preferência em ser base de equipes asiáticas. Com projeto para antecipação da conclusão das obras do estádio e até mesmo uma medida provisória para utilização do aeroporto, a confiança está diretamente ligada aos elogios recebidos após inspeções do comitê organizador do mundial.

header Copa 2014 Aeroportos (Foto: Editoria de Arte)
Considerado precário para receber um evento da magnitude de uma Copa do Mundo, o Aeroporto Internacional Eduardo Gomes é apontado como a maior preocupação pela UGP Copa. Com a necessidade de uma “obra significativa”, de acordo com o coordenador Miguel Neto, o início dos reparos ainda depende de uma licitação, com fim previsto somente para outubro.
Como se não bastasse o atraso para o início das obras, Miguel Neto diz que há uma certa insegurança diante da impossibilidade de fechar o local para as modificações.

header Copa 2014 hotelaria (Foto: Editoria de Arte)
Base da grande maioria dos turistas que têm a selva amazônica como destino, os chamados hotéis de selva são a garantia de qualidade e quantidade quando o assunto é hotelaria. Com cerca de 10 mil leitos disponíveis, estes, em muitos casos resorts, estão sendo preparados para absorver o consumidor da Copa do Mundo não somente visando os jogos do Mundial, mas facilitando também o acesso a toda gama de atrações peculiares do local.
Já na área urbana, a disponibilidade é de cerca de 16 mil leitos até 2012. Há ainda outros três hotéis com projetos que dependem da aprovação da prefeitura para iniciarem a construção ainda neste ano.
header Copa 2014 investimento (Foto: Editoria de Arte)
A estimativa é de que seja gastos R$ 3,4 bilhões na preparação de Manaus para Copa do Mundo. Com investimentos dos poderes públicos (municipal, estadual e federal) e da iniciativa privada, o valor está dividido em R$ 534 milhões para Arena, R$ 1,7 bilhão em mobilidade urbana, R$ 415 milhões no aeroporto e R$ 86 milhões em melhorias no porto. A parte hoteleira é toda da responsabilidade da iniciativa privada.

Referência site: globoesporte.globo.com/.../copa.../manaus-se-espelha-em-..

Comentário:  Com investimento de R$ 3,4 bilhões, o Estado pretende gerar aproximadamente mais de 30 mil empregos, entre diretos com a contrução, hotelaria, turismo e indiretos com a capacitação de mão de obra, especialização, educação, fornecedores em geral. 

Trabalho realizado por Glauco, Jacqueline, Jessica e Marcelo.

Obras dos estádios da Copa têm a participação de 441 mulheres














Somente com a Constituição Federal de 1988 as mulheres conseguiram igualdade perante a Lei, desde então, lutamos para fazer valer nossos direitos de trabalhar e ganhar igual aos homens.

Hoje temos uma mulher na Presidência do nosso País, fato que nos orgulha e nos incentiva a almejar cargos antes ocupados somente por homens.

Decididas como a maioria das brasileiras, as mulheres resolveram “arregassar as mangas” e entrar no Mercado de construção civil.

A chegada da Copa de 2014 viabilizou a concretização desta decisão e hoje temos como exemplo as Arenas do Mundial, que, de acordo com reportagem deste domingo (14) do jornal "Folha de S.Paulo", cerca de 441 mulheres estão presentes nos canteiros da Copa.

Para Christiana Mascarenhas, engenheira da obra do Mineirão, o aumento da mão de obra feminina "rompe com o machismo".

Da Administração ao canteiro de obras, estamos construindo um novo País.

http://www.copa2014.org.br/noticias/7769/OBRAS+DOS+ESTADIOS+DA+COPA+TEM+A+PARTICIPACAO+DE+441+MULHERES.html

RH_ 1



Copa e Olimpíadas devem gerar 5,7 milhões de empregos


Copa do Mundo em 2014. Olimpíadas em 2016. Nos próximos anos, eventos esportivos de grande porte não faltarão aos brasileiros, que poderão reunir amigos e família, assistir ao vivo aos jogos, torcer e, muito mais do que isso, conseguir um bom emprego.

Antes do evento, o Brasil terá de se mexer bastante para poder criar condições de receber atletas e turistas de todo o mundo. Isso exige investimento em infraestrutura e, principalmente, em mão-de-obra capacitada.

Só no caso da Copa do Mundo de 2014, uma pesquisa realizada pela FGV Projetos, a pedido da CBF (Confederação Brasileira de Futebol), revelou que cerca de 3,6 milhões de empregos serão gerados.

Olimpíadas em 2016
Agora, com a decisão tomada nesta sexta-feira (2) pelo COI (Comitê Olímpico Internacional) de escolher o Rio de Janeiro como cidade-sede das Olimpíadas de 2016, mais empregos devem ser gerados.

Uma outra pesquisa realizada pela FIA/USP (Fundação Instituto de Administração da Universidade de São Paulo), a pedido do Ministério dos Esportes, revelou que 120.833 pessoas devem ser contratadas direta e indiretamente ao ano, entre 2009 e 2016, por conta do evento esportivo.

Já no período pós-Olimpíadas, entre 2017 e 2027, serão 130.970 novos brasileiros empregados. E mais da metade dos empregos (53,1%) gerados pelo evento beneficiará pessoas que moram além das fronteiras da cidade do Rio de Janeiro.

Sucesso das festas
Sobre o evento, o ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, disse que, de agora em diante, a qualificação profissional dos cariocas para esta nova realidade é fundamental, para garantir o sucesso dos jogos.

"Uma vez confirmada a vitória do Rio, teremos muito trabalho pela frente. Haverá investimentos pesados em infraestrutura, e os trabalhadores precisarão estar totalmente preparados para que a festa seja um sucesso. Serão gerados, nestes seis anos de preparação, milhões de empregos diretos e indiretos, o que irá acelerar ainda mais a economia nacional".

Setor de Turismo
De acordo com o ministro interino do Turismo, Airton Pereira, ações como a qualificação de mão-de-obra, melhora da infraestrutura e incentivo aos investimentos privados devem ser realizadas para o Brasil "entrar em outro patamar em disputa no mercado turístico".

Ele afirmou que o ministério já está trabalhando na qualificação da mão-de-obra para a Copa do Mundo de 2014, principalmente dos profissionais que terão contato direto com o turista, como taxistas, recepcionistas de hotéis e guardas municipais, por exemplo, que contarão com aulas de inglês e espanhol e aprenderão técnicas de bom atendimento.

"Nós já começamos um trabalho que se chama Alô Turista, investindo nos idiomas de inglês e espanhol, que já no próximo ano tem a meta de atingir 80 mil pessoas e isso vai se somar a ensinamentos de bom atendimento".

Setores que serão muito beneficiados com as Olimpíadas
Estudo identificou 55 setores da economia que mais poderão se beneficiar dos jogos, com maior movimentação de dinheiro. Entre eles, estão:
Construção Civil (10,5%),
 
Serviços Imobiliários e Aluguel (6,3%),
 
Serviços Prestados a Empresas (5,7%),
 
Petróleo e Gás (5,1%),
 
Serviços de Informação (5%) e Transporte,
Armazenagem e Correio (4,8%).

Segundo a Firjan, o documento Decisão Rio prevê R$ 126,3 bilhões em investimentos públicos e privados para o estado no período, entre 2010 e 2012.
Mas a entidade acredita que esses cálculos serão revistos para cima, com os novos empreendimentos nos setores de turismo e infraestrutura.

http://www.clubeinvest.com/forumbolsa/forum-de-bolsa/copa-e-olimpiadas-devem-gerar-5-7-milhoes-de-empregos-no-brasil/msg151465/
Trabalho realizado por Marcelo, Glauco, Jacqueline e Jessica.